terça-feira, 18 de março de 2014

Esculturas demasiado humanas de Ron Mueck chegam ao Brasil

De 19 de março a 1º de junho, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro abrigará a primeira exposição no Brasil do artista plástico australiano Ron Mueck – que pode ser considerado o principal responsável pela revitalização da escultura figurativa na arte contemporânea. Originalmente montada pela Fondation Cartier, em Paris, a exposição é pequena mas representativa: são nove obras (das 40 que o artista já produziu em sua carreira), que até o mês passado estavam na Fundación Proa, em Buenos Aires, onde atraíram mais de 150 mil visitantes. No limite entre a realidade e a representação, a verdade e a ficção, são esculturas de pessoas comuns em situações (nem sempre) comuns: um casal de idosos sob um guarda-sol, um homem nu em um bote à deriva, uma mulher carregando bolsas de compras, um par de adolescentes que parecem compartilhar um segredo, com as mãos dadas de forma tensa. Todas meticulosamente trabalhadas em argila, silicone, fibra de vidro e resina com pintura acrílica, além de materiais orgânicos (cabelo de verdade etc). O resultado é impressionante: os pêlos, cílios, unhas e as imperfeições da pele, mas também a expressão corporal e a intensidade do olhar tornam as esculturas demasiado humanas – não fosse pelas dimensões, sempre ampliadas ou reduzidas em relação ao tamanho natural (a obra mais famosa de Mueck é um menino de cinco metros de altura, exposto na Bienal de Veneza em 1999). Por meio de uma irônica e meticulosa manipulação da realidade, Mueck altera a nossa percepção do espaço, do corpo humano e da própria realidade. O efeito das esculturas de Mueck é de estranhamento, de mistério, de desfamiliarização do olhar, ao mesmo tempo em que somos levados a refletir sobre temas como a juventude e a velhice, a maternidade, a doença e a morte. Além das nove obras – seis delas criadas para a exposição original em Paris – o público terá acesso a um documentário do diretor Gautier Deblonde, "Still Life" (“Natureza morta”): em 50 minutos, o vídeo mostra o solitário processo de composição das esculturas.
Realmente uma exposição imperdível! Mais Informações: Clique AQUI

Domingo, dia 23, estive no Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro. Depois de uma longa fila, finalmente me vi diante das incríveis esculturas do artista plástico australiano Ron Mueck que, repito, pode ser considerado o principal responsável pela revitalização da escultura figurativa na arte contemporânea. Você que ainda não viu, programa-se, afinal, valeu a pena!