terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Ainda sobre Yoani Sánchez, a guerreira

“O Brasil recebe a visita de políticos, tiranos e pessoas comuns defendendo ideias de vários matizes, como é natural em qualquer democracia, mas poucos mereceram um tratamento tão indecoroso quanto Yoani. Ela é um alento para o povo cubano, uma plantinha que ousou brotar na aridez do fidelismo arcaico. Será que seus agressores no Brasil pararam para pensar porque em Cuba não existe acesso livre e desimpedido à internet? Por que não existem jornais? Por que Cuba é a única ilha que não possui comunidade de pescadores? Vamos lá. As duas primeiras perguntas têm respostas óbvias: o governo tem o controle total da informação. Mas e os pescadores? Por que os cubanos não podem enriquecer sua ração diária de batata com uma proteína de peixe? Simplesmente porque, em vez de pescar, eles remariam para longe da ditadura, fugiriam da prisão em que são mantidos. Yoani Sánchez é tão perigosa em Cuba quanto uma canoa a remo. Ela liberta a mente, mostra que o rei está nú.” (Revista Veja) – Quanto a mim, digo: seja muito bem-vinda, moça!

2 comentários:

Noemi disse...

Bendiciones desde El Salvador Centroamerica, desde mi blog www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com

Flamir ambrósio disse...

Valeu, Noemi, pelo carinho.

Um grande beijo.

Em Cristo,
Flamir